top of page

Upcoming Events

Design sem nome (5)_edited_edited.jpg

I simpósio internacional de estudos no exterior e internacionalização do sul global (i sieei-sul) (8 de março de 2024, 9am Atlântico)

Coordenador: Prof. Dr. Gilmar M. F. Fernandes
Universidade Federal de Uberlândia – Brasil
Docente do Curso de Letras: Inglês e Literaturas de Língua Inglesa da Universidade Federal de Uberlândia, 
Gilmar M. F. Fernandes possui graduação em Letras (Português e Inglês) pela mesma universidade, mestrado(2014) e doutorado (2018) em Estudos Linguísticos pelo Programa de Pós-graduação da Universidade Federal de Uberlândia. É um dos fundadores da Rede Global de Pesquisadores e Administradores de/sobre Estudos no Exterior (The Global Collective For Study Abroad Researchers and Administrators -GC-SARA) emembro do Grupo de Pesquisa Narrativa e Educação de Professores (GPNEP). Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Linguística Aplicada. Suas áreas de pesquisa englobam: formação de professores (de línguas), histórias de vida, pesquisa narrativa, tecnologias digitais para ensinar e aprender, currículo, estudos no exterior e internacionalização.

Resumo geral da proposta

Considerando as práticas e pesquisas em torno da internacionalização (i18n) das instituições de Ensino Superior ao redor do mundo, a subinvestigação sobre programas de mobilidade em territórios do hemisfério sul e que a maioria dos estudos são realizados por meio de línguas dominantes, este simpósio pretende somar às discussões e reflexões a respeito desses temas com perspectivas de pesquisadoras/es oriundas/os de países falantes de língua portuguesa. Com vistas a práticas decoloniais que incluam países do hemisfério sul, a Rede Global de Pesquisadores e Administradores sobre/de Estudos no Exterior (The Global Collective for Study Abroad Researchers & Administrators – GC-SARA) propõe este evento para discutir sobre ações que consideram perspectivas não-dominantes nos programas de mobilidade (inter)nacionais e nas práticas de internacionalização. Especificamente, neste simpósio, as pesquisadoras irão refletir sobre aspectos linguísticos, multiculturais e burocráticos que contribuem para incluir as vozes do Sul Global. Para tanto, compartilham algumas possibilidades, como intercâmbios virtuais e programas, que incluem discentes/docentes do hemisfério Sul em suas ações.


Profa. Dra. Michele Saraiva Carilo
Universidade de Edimburgo - Escócia

Atualmente, Michele Saraiva Carilo é Diretora do Programa de Pós-Graduação em Language and Intercultural Communication na Escola de Educação da Universidade de Edimburgo onde, também, atua como Professora Titular nos programas de mestrado do Instituto de Educação em Línguas. Suas principais áreas de interesse e atuação são a Linguística Aplicada ao PLA, Formação de Professores, Estudos Críticos e Interculturais, Teoria Descolonizadora e Linguagem Inclusiva. Sua publicação mais recente, PAL:
Research-informed pedagogical approaches
, reúne trabalhos de docentes/pesquisadores de PLA ao redor do mundo.

 

Título: Descolonização do Português como Língua Adicional para fins de Internacionalização e Mobilidade Acadêmica: por onde começar?

É possível afirmar que as políticas de internacionalização das instituições de ensino superior brasileiras são desenvolvidas e implementadas a partir de um viés descolonizador – já que o português é a principal, ou única, língua de instrução em contextos acadêmicos, diferentemente de outros países onde o inglês é adotado para fins acadêmicos. No entanto, os currículos nos quais se baseiam os diversos cursos de Português como Língua Adicional (PLA) que são oferecidos a estudantes internacionais (e.g., participantes do Programa de Estudantes-Convênio de Graduação) não são, necessariamente, informados por teorias linguísticas descolonizadoras. Pelo contrário, pressupostos teóricos e abordagens pedagógicas que priorizam a avaliação de habilidades linguísticas, as equiparando a níveis de proficiência de acordo com o Quadro Comum Europeu de Referência para Línguas, servem como principal ou único construto a partir do qual se desenvolve e implementa currículos e se elabora materiais didáticos. Esta fala tem como objetivo discutir a seguinte questão: como podemos promover noções de língua e cultura como processos de criação de sentido para o avanço da cidadania cosmopolita, protagonismo e ativismo em busca de justiça social de nossos estudantes de PLA sem cair em “armadilhas” colonizadoras, neocolonizadoras, e recolonizadoras mascaradas de “melhores práticas” amplamente promovidas pelo Norte Global?


Profa. Dra. Silvia M. Melo-Pfeifer
Universidade de Hamburgo - Alemanha

Sílvia Melo-Pfeifer é Doutorada pela Universidade de Aveiro (Portugal) e Professora Titular na Faculdade de Educação da Universidade de Hamburgo (Alemanha), na área da Didática das Línguas Românicas (Francês e Espanhol). Coordenou vários projetos europeus sobre educação em línguas, plurilinguismo e formação de professores e tem publicado sobretudo nessas áreas. O seu último livro, co-editado (com V. Tavares), chama-se “Language Teacher Identity: Confronting Ideologies of Language, Race, and Ethnicity” (pela Wiley, em 2024).


Título: O desnorteio das internacionalizações e a (des/re)colonização dos saberes

Esta apresentação destaca, num primeiro momento, os desafios e desvios que as instituições de ensino superior enfrentam na implementação das suas estratégias de internacionalização (ou internacionalizações!), evidenciando possíveis equívocos, falta de direcionamento claro e impactos adversos na vida académica. Esse desnorteio, conforme lhe chamo para evocar, ainda que ironicamente, a posição do Norte Global, é, na minha opinião, o resultado de processos por vezes pouco adequados, assimetrias nas parcerias internacionais e desafios na implementação de programas de interncionaização (“at home” e “abroad”). Num segundo momento, abordo a necessidade de repensar e desafiar estruturas de (co)construção de conhecimento que refletem e reproduzem histórias coloniais e hierarquias linguísticas e culturais, argumentando que a recorrente dicotomia Norte Global e Sul Global não dá conta da complexidade destas temáticas. Ao interrelacionar estes dois momentos de reflexão, pretendo evidenciar como o desnorteio nas internacionalizações pode contribuir, inadvertidamente ou não, para a (des/re)colonização dos e pelos saberes científicos.

Profa. Dra. Valeska Virginia Soares Souza
Universidade Federal de Uberlândia - Brasil

Valeska Souza é professora do Instituto de Letras e Linguística da Universidade Federal de Uberlândia nos cursos de graduação e pós-graduação. É graduada em Letras (Inglês-Português), especializada em ensino e aprendizagem de língua inglesa, tem Mestrado em Linguística com foco em letramento digital, Doutorado em Linguística Aplicada sobre linguagem e tecnologia, um pós-doutorado em pesquisa narrativa e jogos no processo de ensino-aprendizagem e outro em práticas educativas e inovadoras de internacionalização em casa. Seus interesses de pesquisas são relacionados ao uso de tecnologias digitais de informação e
comunicação para aprendizagem de línguas e práticas pedagógicas nas áreas de inovação, inclusão e internacionalização.

Título: Um olhar sobre como as universidades brasileiras percebem a inovação na internacionalização em casa
Nesta apresentação, eu compartilho resultados da análise de uma pesquisa que mapeia práticas inovadoras de internacionalização em casa a partir da perspectiva de pessoas interessadas na internacionalização das instituições de Ensino Superior brasileiras. A análise se baseia em um estudo robusto com 70 instituições de ensino superior públicas, estaduais e federais, em 23 estados diferentes. As pessoas interessadas no processo de internacionalização de suas instituições responderam um questionário semiestruturado com questões relacionadas às concepções institucionais sobre inovação e práticas inovadoras de internacionalização em casa. Os resultados apontam para a percepção de que o que está em jogo não é exatamente uma questão de melhores práticas, mas de práticas possíveis, aquelas que fazem sentido institucionalmente e apresentam uma mudança necessária na concepção de internacionalização.

As informações de acesso pelo Zoom serão enviadas por e-mail para quem confirmar presença no RSVP.  Saiba sua hora local aqui. Para confirmar sua presença, clique aqui.

Realização:
Universidade Federal de Uberlândia - https://ufu.br
Global Collective For Study Abroad Researchers and Administrators - https://www.gcsara.org

I SIEEI - SUL.png
bottom of page